2012 – team jrod 108 moto aspra

Joaquim Rodrigues 7o Lugar na Croácia

O objectivo principal desta participação em três provas do Mundial de MX3 foi
inteiramente cumprido por parte de Joaquim Rodrigues que teve em Mladina, na
Croácia, uma das suas melhores prestações em termos de resultados e consistência
em prova. Porém no sábado o panorama não era o melhor devido à forte carga de
água que caiu durante todo o dia sobre a pista croata, o que impediu que os treinos
de qualificação tivessem tido lugar nos horários previstos.
Foi no domingo que os pilotos tiveram oportunidade de conhecer a pista que se
apresentava em condições razoáveis, e Joaquim Rodrigues rodou com algumas
cautelas porque o traçado se apresentava relativamente escorregadio, alcançando
apenas o 10º posto da geral na primeira e única sessão de treinos.
Na primeira manga “J-Rod” arrancou que nem uma bala conseguindo rodar isolado
durante muito tempo no terceiro posto num grupo composto por seis pilotos. No
entanto uma travagem mal calculada relegou-o para o quinto posto mas colado aos
seus adversários.
Na segunda manga o arranque já não foi tão frutífero depois do piloto da Aprilia ter
sido tocado na traseira, o que o fez perder imenso tempo. Encetada a recuperação,
Joaquim Rodrigues consegue chegar ao sétimo posto logo atrás do Pierre Renet, o
actual líder do campeonato conseguindo obter o sétimo posto final nesta ronda do
Mundial de MX3.
“Já me senti bastante melhor nesta prova, por isso considero que foi um
bom resultado, embora ligeiramente abaixo das minhas expectativas. Tal
como já tinha referido anteriormente vim para estas três provas com o
intuito de rodar, apurar o físico e explorar as capacidades da Aprilia MXV.
Tudo correu tal como tinha sido planeado e já percebi quais é que são as
áreas onde devo trabalhar com mais afinco para conseguir chegar ao nível
que tinha anteriormente.
Em relação à Aprilia acho que consegui provar que é uma moto bastante
competitiva para estar no Mundial de Motocross mesmo sem grandes
preparações ao nível do motor.
Gostaria de agradecer de forma sincera a todos aqueles que me apoiaram,
porque sem eles nada disto teria sido possível: Aprilia, Milfa, Moto Garrano,
Michelin, Federação Motociclismo de Portugal, Polisport, CFL, Shoei,
Gaerne, Shift, Marzocchi e ao meu mecânico Filipe Barbosa.”

imagem da noticia

Reply